terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Prólogo do Tempo


Tempo...Tempo...Tempo...
És tu o culpado por eu estar assim,
triste, solitário, amargo, velho.

Se tivesses parado ao menos uma vez,
talvez eu pudesse te acompanhar.
Mas tu, sempre apressado,
não pode esperar...

Mas agradeço-te eternamente,
por me deixar lembranças.
Foi bom ter amigos,
e foi bom ter amado alguém...

Mas tempo, se tu não tivesses tanta pressa...
Levou tudo o que me fazia sorrir,
mas esqueceu de levar contigo minha dor.

Tempo...Tempo...Tempo...
És tu que reges a vida, com triste melodia,
sem parar vai levando tudo.

Leva a beleza das mulheres,
leva a força dos homens,
leva a juventude das crianças...

Tempo...Tempo...Tempo...
Vai agora e segue teu rumo,
e se um dia me encontrar,
perdido pelo caminho...

Não se preocupe em estender a mão,
pois só estou atrás do que me levou embora.
Tempo...Tempo...Tempo...

Antônio Piaia

3 comentários:

  1. Que ironia. O mesmo tempo que tira e destrói é o mesmo que une e constrói.
    No fim, perguntarão se o odiava e tu irá responder... não durante o tempo todo.

    ResponderExcluir
  2. Bem... O que se pode fazer?
    Só deixar o tempo passar...

    Prêmio, confira: http://origamibygrazeyann.blogspot.com/2009/02/premios.html

    :*

    ResponderExcluir